Cidade Alta

with Nenhum comentário
Cidade Alta

A parte mais antiga de Zagreb



A Cidade alta, Gronji Grad, é a parte mais antiga da cidade. Ali você vai ver:

  • Catedral da Assunção da Sagrada Virgem Maria: a “obra arquitetônica mais grandiosa, no estilo gótico, ao sul dos Alpes” destaca-se por suas duas torres gêmeas. Destruída e reconstruída ao longo dos anos, a catedral foi gravemente danificada no terremoto que abalou a cidade em 1880. Sua construção segue os estilos francês (arcos e janelas), alemão (detalhes das naves) e tcheco (esculturas). Nos últimos 30 anos, passou por diversos trabalhos de reconstrução;
  • Feira Dolac: a maior feira da cidade, começou em 1930 e é chamada, carinhosamente, de “a barriga de Zagreb”, devido aos alimentos de dar água na boca que ali chegam de todo o país. São barracas com frutas, legumes, peixes frescos e produtos típicos. Situa-se acima da Praça Trg Bana Jelačića, sendo que as barracas de flores começam ao lado da praça;
  • Igreja de São Marcos: um dos edifícios mais antigos de Zagreb, a Igreja de São Marcos foi construída no século XIII. Passou por várias alterações ao longo do tempo, algumas devidas a incêndios e terremotos. O telhado esmaltado, de 1882, quando a igreja ganhou seu aspecto atual, representa os brasões de armas da Croácia, da Dalmácia, da Eslavônia e da cidade de Zagreb.

  • Portão de Pedra: foi ali que começou a história da Cidade Alta. Construído no século XIII, o Portão de Pedra é um dos cinco portões dos muros que existiam ao redor da Cidade Alta. Não se sabe ao certo como era, apenas que era feito de pedra, numa época em que a maior parte das construções da cidade era feita em madeira. O portão sofreu vário incêndios: em 1645, 1647, 1706 e 1731, quando todas as casas ali perto foram destruídas, ficando intacta, no entanto, uma pintura da Virgem Maria com o menino. Foi, então, construída uma capela para abrigar a pintura, com um grade barroca de ferro batido, de 1778, obra do artesão de Zagreb Ivan Korta. A Virgem é a padroeira da cidade, sendo festejada em 31 de maio, data oficial da criação de Zagreb. Ali perto, em um nicho, encontra-se uma escultura feita em 1929 por Ivo Kerdic, representado Dora Krupićeva, heroína da obra Zlatarevo lato (en inglês The Goldsmith's gold), novela escrita em 1871 por August Šenoa, grande escritor croata;
  • Rua Tkalčičeva: movimentada rua de pedestres, com muitas lojas, cafés e restaurantes.  No verão, mesas ao ar livre e uma atmosfera alegre e colorida. Na rua há uma escultura de Marija Jurić Zagorka, primeira jornalista profissional do sexo feminino na Croácia. Escrevia sob o pseudônimo de Zagorka. Um de seus trabalhos mais populares foi “A bruxa de Grič. A escultura (1991) é obra de Stjepan Gračan.

GALERIA

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.


Comentários