Giverny: na casa de Monet

with Nenhum comentário

Dizia o pintor: "nesta cidade, de charme intemporal, a luz é diferente de qualquer outro lugar".



"Nesta cidade, de charme intemporal, a luz é diferente de qualquer outro lugar" (Claude Monet).

Giverny, a apenas 74km de Paris, a segunda cidade mais visitada da Normandia, atrás apenas do Monte Saint-Michel, tornou-se conhecida quando Monet ali se instalou em 1883. O pintor trabalhou e viveu na cidade até sua morte, em 1926.

Foi em Giverny que Monet pintou os famosos quadros das Ninféias (fr. Nymphéas), que ocupam dois salões ovais do andar térreo do Museu da Orangerie, em Paris, e que prendem o nosso olhar e nos levam de volta aos jardins de sua casa, ora com sua luz rosada, ora com um azul profundo…

A casa onde Monet viveu abriga algumas reproduções do artista e sua coleção de estampas japonesas dos séculos XVIII e XIX. É uma casa rosa, com janelas pintadas de verde, cercada de plantas. A cor também toma conta da casa: a sala de jantar é amarela, a cozinha é azul. Engraçado, temos a impressão de que ele vai surgir em algum cômodo para conversar com os visitantes ou que acabou de deixar a mesa para ir pintar em seu ateliê ou para conversar com amigos parisienses que foram lhe visitar.

Os jardins transbordam em flores e em cor. Há o “Clos normand”, desenhado por Monet, e o jardim das águas, artificial, de inspiração japonesa, com uma famosa ponte pintada em verde sobre um lago repleto de Ninféias (ou nenúfares), um enorme salgueiro, bambus e outras flores que não conheço. É um lugar mágico e a gente tem vontade de aprender a pintar…

GALERIA

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.

COMO CHEGAR

Estando em Paris, pega-se o trem na Gare Saint Lazare até Vernon; o trajeto dura 45 minutos. Chegando em Vernon, há ônibus que saem a cada 15 minutos após a chegada dos trens em direção a Giverny.

Os bilhetes podem ser comprados em qualquer estação ferroviária de Paris, nos guichês ou máquinas automáticas, ou no site da companhia ferroviária francesa SNCF (link para a página em francês; para a página em inglês, clique aqui).

Os ingressos podem ser comprados no local ou na internet, no site da Fundação Claude Monet, que também informa os horários de visita (veja link no final da página).

 

O site de turismo oficial (link no final da página), indica outros locais de interesse na cidade, como o Museu dos impressionistas e o hôtel Baudy.

Estive em Giverny 2 vezes. A primeira foi em junho de 2012, saindo de Paris e voltando no mesmo dia. Mas ficou uma vontade de ver melhor, passar a noite na cidade. Acho que a gente aproveita mais a visita, sem preocupação de horários e trens. Foi o que fiz em setembro de 2016. Encontrei uma linda casa (chambres d'hôtes - veja em Informações diversas > Onde ficar > Onde me hospedei) onde reservei um quarto para a noite e pude apreciar os jardins com calma. E o dia foi lindo, o sol entrando pelas janelas da casa de Monet. Era possível imaginá-lo ali, com suas telas e seus pincéis. Ao entardecer, o sol foi pintando o céu de rosa, tudo tão tranquilo, tão silencioso.

 

FRASES DE MONET

Nesta cidade, de charme intemporal, a luz é diferente de qualquer outro lugar.

Demorei para entender as ninfeias... eu as cultivava sem nunca pensar em pintá-las... Você não se impregna de uma paisagem em um dia...

E, então, de repente, me dei conta da magia do meu lago. Peguei minha paleta. A partir desse instante quase não tive outro modelo".

Quero pintar o ar ao redor da ponte, da casa, do barco.

A beleza do ar ali onde estão, mas isso é apenas impossível.

 

Comentários