Monte Saint-Michel | Para onde?

Monte Saint-Michel: um lugar mágico

with Nenhum comentário

Um lugar mágico que parece saído de um livro de contos de fada. Para mim, um sonho que virou realidade; uma realidade que pareceu um sonho.



O Monte Saint-Michel, um dos símbolos da Normandia, é uma ilha rochosa, com aproximadamente 1km de circunferência e 80m de altura, localizada na foz do rio Couesnon, na baía do Monte Saint-Michel, entre a Pointe du Roc e a Pointe du Grouin.

Segundo a lenda, o São Miguel arcanjo apareceu em sonho a Oberto, bispo de Avranches, e pediu que se construísse um santuário em seu nome. Era o ano 708 d.C.

Diversas construções se sucederam ali, do século IX ao século XVIII. Da Revolução Francesa até o Segundo Império, a abadia foi transformada em prisão. Somente em 1874 passou a ser administrada pelo serviço de Monumentos Históricos, sendo aberta ao público. 

Local de peregrinação, o Monte, bem como sua baía, tornou-se, em 1979, Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco.      

A primeira visão do Monte quando se chega pela estrada é a de uma pequena ilha, uma imagem distante, no meio do campo. Conforme o carro avança, a imagem vai tomando uma forma mais definida e a gente não sabe se para e faz uma foto ou se continua para chegar logo.

Minha primeira visita ocorreu em setembro de 1995. Um sonho antigo que virou realidade, uma realidade que mais parecia um sonho. Lembro-me de parar na estrada para fazer fotos e ficar me beliscando, para ter certeza de que estava ali.

Depois disso já voltei três vezes, sempre em visitas de um dia, até que, em setembro de 2016, tive a oportunidade de estar na França na época da maré cheia, algo que nunca tinha presenciado. Foi quando resolvi me hospedar por duas noites em um hotel na rua que leva ao Monte. Escolhi o Hotel Mercure, tanto pelas acomodações, quanto por fazer parte do programa de fidelidade da Rede Accor.

Por que se hospedar num hotel ali perto? Bom, no meu caso, eu gosto de fotografia, queria esperar o sol nascer, ver o por do sol, ver tudo aceso à noite, e poder entrar no vilarejo sem tantos turistas. E já faz algum tempo que penso: "e se chover? Não vou ver nada direito. Talvez ficando dois dias tenha mais chance do tempo melhorar." Além disso, nas minhas outras visitas, eu ia diretamente ao Monte. Bem, as duas primeiras foram há muito tempo, antes da construção da nova barragem, quando os estacionamentos eram perto da entrada, e, na terceira, depois das obras, fiz da mesma forma, mas reparei que o ônibus parava na Place du Barrage.

Então, nessa última visita, resolvi parar ali para esperar a maré subir e ver o sol nascer. Foi incrível. A um certo momento havia uma bruma envolvendo a parte de baixo do Monte, dando-lhe um aspecto realmente mágico. Depois fui andando até lá; devagar, leva-se uns 30 minutos, mas também é possível pegar o ônibus.

À noite, depois das 22h, 23h, quando a maior parte dos turistas foi embora e as ruas ficam vazias, a gente se sente transportado de volta para a Idade Média (abstraindo os sinais de propaganda do comércio, claro). Tudo fica envolto numa luz amarela e ouve-se… o silêncio.

Um momento inesquecível. Uma visita inesquecível.

COMO CHEGAR

De carro, a partir de Paris, são uns 360km. Usei um GPS da TomTom e não sei porque motivo ele não encontrava o destino. Se tiver esse problema, tente Route du Mont Saint-Michel, Pontorson.

Pontorson é um vilarejo próximo, onde para o trem proveniente de Paris. O trajeto de trem dura de 3h40 a 4h25, partindo das estações Saint Lazare ou Montparnasse.

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

Há um grande estacionamento perto da Place des Navettes, onde está o Posto de Turismo, caixas automáticos para pagamento em espécie e o ponto de partida de ônibus e charretes que levam ao monte. Para pagamentos com cartão de crédito as máquinas ficam ao longo da calçada que leva ao estacionamento.

Os hotéis na Route du Mont Saint-Michel possuem estacionamento próprio. Nesse caso, passa-se por uma barreira eletrônica, onde deve ser digitado um código que será fornecido pelo hotel.

As navettes (ônibus chamados Passeur) saem a cada 5, 10 minutos. São 5 minutos até a Place du Barrage e 12 até o Monte. Há pelos menos uns dois pontos antes disso, um deles em frente às Galeries du Mont Saint-Michel. Estas galerias vendem produtos locais, artigos para presente, bebidas e frutas; há também uma loja da rede Brioche Dorée. Há um banheiro no andar de cima.

Os ônibus são gratuitos e funcionam de 7h30 à 1h. Fora destes horários pode-se telefonar e pedir um transporte. As charretes são pagas.

Também é possível fazer todo o trajeto a pé, por um caminho ao lado do Posto de Turismo. Há vários painéis com fotos do Monte, da Baía e dos arredores. Eu ainda prefiro pegar o ônibus e descer na barragem. Se a maré estiver cheia, é possível ver o reflexo da abadia na água. É muito, muito bonito.

As luzes do Monte se apagam todos os dias à meia noite.

Logo na entrada, ao passar da Porta Bavole, há um outro Posto de Turismo e um banheiro pago.

 

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.

O QUE VER

Abadia do Monte Saint-Michel
with Nenhum comentário

Uma história que começou há 13 séculos Uma história que começou há 13 séculos. A Bíblia narra o combate do arcanjo, que simboliza a força do bem contra o mal, contra o demônio, representado por um dragão. O texto Revelatio … leia mais

O vilarejo
with Nenhum comentário

Caminhar pela estreita Grande rue, com suas casas dos séculos XV e XVI, é uma volta ao passado. Entra-se no vilarejo pela Porta Bavole que dá acesso à Cour de l’avancée (pátio na entrada). Um pouco adiante, outra porta, a … leia mais

Barragem do rio Couesnon
with Nenhum comentário

Uma obra que durou quase 10 anos, permitindo que o Monte voltasse a ser uma ilha. No início, a Baía do Monte Saint-Michel era uma planície arborizada, a floresta de Scissy. Pouco a pouco, a partir da grande maré do … leia mais

FOTOS EXTERNAS

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.

Comentários