HORÁRIOS

Numa capital, é fácil sentar em um bistrô, um barzinho e comer a qualquer hora. Mas se você deseja comer em um determinado lugar, não importa a cidade, o melhor é telefonar e reservar ou ver se é possível reserva pela internet.

No interior da França, por exemplo, é preciso procurar um lugar para almoçar até, no máximo, 13h. Depois disso, tudo o que você vai ouvir é désolé, a cozinha já fechou.

Ao viajar de carro, o que mais se vê, principalmente em dias de sol, são pessoas sentadas à beira da estrada, num belo piquenique, a partir do meio dia. É impressionante o valor que eles dão ao horário do almoço e à refeição em si. Um momento para conversar e apreciar a comida, mesmo que seja um sanduíche.

Há restaurantes onde que é preciso reservar com uma semana de antecedência. É bom pesquisar, também, em que dia eles dão folga ao pessoal. No verão, como no inverno, é comum encontrar vários lugares fechados. É... todo mundo está de férias e tanto restaurantes quanto lojas costumam dar férias coletivas.

Em alguns lugares as lojas fecham para a sesta. Se você tem horário, é bom checar antes de ir.

COSTUMES

As feiras francesas são famosas: por seu colorido, por seus produtos, por seus temperos.

Antes de ir pegando o que lhe agrada, pergunte antes se pode. Em muitos lugares são os feirantes que escolhem. Você pode, no máximo, apontar o que deseja. Isso também vale para alguns mercados especializados, como a Grande Epicerie de Paris, por exemplo, e para alguns supermercados. No Monoprix, rede de supermercados franceses, há um aviso para não pegar os queijos: é preciso pedir ao funcionário. Isso é no setor de queijos e não nas geladeiras. Eles dizem que não é higiênico. Engraçado isso, num país onde, em muitos lugares, ao se comprar a baguette, a mesma mão que a serve é a que pega no dinheiro. Também acontece dela vir embrulhada num pequeno papel que mal dá pra segurar. Costumes locais que, na verdade, não me incomodam.

  • Supermercados

Ao fazer compras no supermercado, é sempre bom lembrar de levar uma sacola. Na maioria dos mercados as sacolas são pagas.

É bom também prestar atenção se a balança fica no caixa. Em muitos lugares, é o próprio consumidor quem pesa suas compras. As balanças têm o nome e a foto do item a ser pesado.

Lá, como aqui, existem caixas para poucos volumes, caixas para quem vai receber as compras em casa e caixas self service onde o próprio consumidor escaneia suas compras e paga com o cartão de crédito.

Para pegar um carrinho, muitas vezes você irá precisar de uma moeda de um euro para liberá-lo. É que eles ficam presos uns aos outros. No final, é só devolvê-lo ao local correto e recuperar sua moeda.

  • Aeroportos

Assim como nos supermercados, em alguns aeroportos, para pegar um carrinho para as malas, muitas vezes você irá precisar de uma moeda de um euro para liberá-lo. É que eles ficam presos uns aos outros. No final, é só devolvê-lo ao local correto e recuperar sua moeda.

Em outros locais, é preciso trocar uma moeda por uma ficha, numa máquina ao lado de onde se pega o carrinho. É tudo bem explicado, basta prestar atenção.

Carrinho de supermercado