Idstein: a cidade da “torre das bruxas”

with Nenhum comentário

Em um vale abaixo dos bosques de Taunus, entre Wiesbaden e Frankfurt, encontra-se Idstein, com seu palácio real, suas ruas estreitas de paralelepípedos, suas casas em enxaimel cuidadosamente restauradas e uma torre das bruxas.



Excetuando-se o site da cidade, não é tão óbvio encontrar informações sobre Idstein, ao menos em inglês. Essa bela cidade, cujas casas parecem de brinquedo, parece não fazer parte do circuito turístico de Hesse, o que é uma pena.

Então, como fui parar lá? Eu sigo o perfil da Nicole, do site https://lettersoftravel.de no Instagram. Eu já estava com a passagem para Frankfurt, havia conhecido algumas cidades vizinhas e procurava outras para visitar. Devido às fotos da Nicole fui, não somente a Idstein, como a Eltville e Höst Mas ainda falta Marburg, Limburg e quem sabe algumas outras terminadas em “burg”.

Segundo a Nicole, que escreve super bem, o centro conta “histórias encantadas” de uma época me que ainda “havia senhores e donzelas”, “antigas muralhas” que guardam “o toque medieval do passado… exalando seu charme romântico”. Depois disso, e de ver as fotos, você também será levado a visitar Idstein.

A cidade localiza-se a um pouco mais de meia hora de trem de Frankfurt. A estação ferroviária não nos deixa no centro histórico, assim é preciso andar um pouco.

Em 1255, a Idstein tornou-se a maior fortificação e o ponto de poder da região de Taunus e para além do sul do rio Lahn. A torre de vigia, conhecida com “torre das bruxas”, data desta época dourada. O nome tem origem nos julgamentos de bruxas que ocorreram por volta de 1676, mas não na cidade. Ao que parece serviu como depósito de água ou de grãos. O nome ajudou a atrair turistas.

Até 1721 Idstein foi a sede real dos condes e príncipes de Nassau-Idstein. Em frente à torre, encontra-se o Residenzschloss, um castelo em estilo renascentista, onde morou Adolf von Nassau, rei alemão no século 13. Atualmente abriga a escola Pestalozzi.

O posto de turismo fica na praça principal - König-Adolf-Platz, numa construção chamada de Killingerhaus, cuja fachada pintada em cores vivas é adornada por esculturas. Dali é possível visitar todo o centro a pé. As construções são muito bem preservadas, uma mais bonita do que a outra. Ao todo, são 200 construções em enxaimel, de cinco séculos, o que coloca a cidade na Deutsche Fachwerkstrasse (algo como Rota Alemã do enxaimel).

Logo na entrada do centro, há uma construção pintada em ocre, com um belo frontão. É a prefeitura, que data do século 18. Em 1928, foi seriamente danificada pela queda de pedras e, em 1947, quase queimou. Colada a ela, à esquerda, chama a atenção uma casa inclinada, pintada com detalhes em azul e janelas de um amarelo forte. O motivo da inclinação? Um erro de design. Vai saber.

No número 2 da Obergasse fica a casa mais antiga da cidade, construída por volta de 1410.

Muitas casas possuem rostos das fachadas. Trata-se de um costume celta, adotado na Idade Média pelos artesãos. Acreditava-se que afastavam maus espíritos, inveja e ressentimento.

Retomando o assunto das bruxas, a cada dois anos, no mês de abril, Idstein abriga um festival medieval de bruxas, com vestimentas, tradições, arte e artesanato medievais. Pelo que li, quem for vestido a caráter, terá desconto no ingresso. O que acha, vale tentar? Vamos?

GALERIA

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.

 

 

Comentários