Bruges: a Veneza do norte

with Nenhum comentário
Bruges: a Veneza do norte

Cidade de canais, destino romântico, com um patrimônio medieval que permaneceu praticamente intacto.



A 293km de Paris, 2h29 em trem bala (Thalys), Bruges (Brugge em língua neerlandesa), cidade de canais conhecida como "a Veneza do Norte", conheceu seu apogeu no século XV. Desde então, a maior parte de seu patrimônio medieval permaneceu praticamente intacto.

Assim, nada mais natural do que fazer parte da lista do Patrimônio mundial da humanidade.

Uma cidade também conhecida como um destino romântico, onde é bom perambular pelas ruas, se perder e novamente achar seu caminho.

Muitos turistas, eu inclusive, passam apenas o dia em Bruges, num bate e volta a partir de Paris ou de Bruxelas. Estive na cidade umas quatro vezes e sempre descubro algo novo, o que me leva a admitir que o ideal seria chegar cedo e passar a noite em um dos hotéis da cidade (quem sabe até mesmo duas noites), para passear com calma pelas ruazinhas e pelos canais e aproveitar a culinária local. Em minha última visita à cidade, em janeiro de 2016, pude apreciar o entardecer, quando as luzes se acendem e a cidade ganha um outro tom e um outro ritmo (já que a maioria dos turistas vai embora). Isso me leva a crer que vou voltar em breve uma quinta vez, para ficar por lá uns dois dias.

POR ONDE ANDEI

  • Markt: nesta grande e movimentada praça destacam-se a torre do Campanário - Beffroi, com 83m de altura, onde há um carrilhão com 47 sinos (é possível subir no alto da torre mas prepare-se, são 366 degraus), e o prédio da Mairie (algo como uma câmara municipal). No centro da praça, que é cercada de restaurantes, encontra-se a estátua de Jan Breydel e Pieter De Coninck, dois heróis pupulares que lutraram na resistência “flamande" contra a dominação francesa. Ali você também verá diversas charretes que permitem descobrir a cidade ao longo de um passeio de 35 minutos. O preço é fixado pela cidade;
  • Béguinage “Ten Wijngaerde”: esta é uma das 12 béguinages flamengas que fazem parte do Patrimônio da Humanidade desde dezembro de 1998. Elas fazem parte de uma tradição mística e religiosa que remonta à Idade Média. As beguinas eram mulheres viúvas ou solteiras que escolhiam levar uma vidade religiosa, apesar de não tomarem votos. A béguinage de Bruges, criada em 1245, com casas brancas e grandes árvores, é um lugar calmo, tranquilo e silencioso. Atualmente ali moram freiras da Ordem de Saint-Benoît;

  • Place du Bourg: virando à direita no Campanário, chega-se à Place du Bourg. Ali destacam-se três edifícios: no centro, o Hôtel de Ville, cuja fachada é decorada com personangens da história de Flande e cenas da Bíblia. À sua direita, quase que escondida, fica a Basílica do Santo Sangue, com sua fachada cinza escura, decorada com estátuas douradas. Segundo o site Bruges tourisme “Léonius de Furnes, abade e capelão do Conde de Flandre, Thierry d’Alsace, teria trazido a relíquia do Santo Sange de Jerusalém - o sangue de Cristo que teria escorrido de sua ferida no flanco direito, durante a crucificação, guardando-a até 1150, quando a confiou à igreja. Em 1923, a igreja tornou-se a Basílica do Santo Sangue". À esquerda do Hôtel de Ville está o Greffe civil (registro civil), um belíssimo edifício com detalhes dourados. Atravessando o arco que existe entre ele e o Hôtel de Ville, passa-se numa viela estreita que tem o curioso nome de Rue de l'Âne Aveugle (rua do burro cego). Dali avista-se os canais e os barcos que passeiam por eles e é um ótimo lugar para uma foto.

GALERIA

Passe o mouse nas imagens para ver a descrição ou clique para aumentar.

COMO CHEGAR

DE PARIS: Thalys, direto, saindo da Gare du Nord; a viagem leva, aproximadamente 2h26.

DE BRUXELAS: Thalys, saindo da estação de Bruxelles-Midi; a viagem leva 54 minutos.

Ao chegar, saindo da estação ferroviária, basta atravessar a rua e seguir sempre em frente; o caminho leva ao centro histórico.

 

Não deixe de fazer um passeio de barco pelos canais. Tem-se uma outra visão da cidade e de suas pontes.

Onde pegar o barco? Rozenhoedkaai, talvez o lugar mais fotografado da cidade.

 

Comentários